Giacobo quer devolução à União de quase 2.000 km de rodovias

26831275864_d8829ed681_o

Giacobo quer devolução à União de quase 2.000 km de rodovias

Para transitar em rodovias entregues à iniciativa privada, o brasileiro paga mais que em outros países, mas os investimentos são menores.
De um lado, principalmente nas estradas estaduais, a tarifa é muito mais alta que a média internacional. Do outro, as empresas concessionárias, sobretudo nas vias federais, investem menos que deveriam nas rodovias. Outro grande problema é que muitas obras contratadas não são executadas pelas concessionárias.
Um Estudo do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) divulgado em 2013 pela revista Congresso em Foco mostra os dois aspectos mais negativos das concessões rodoviárias no país.
Com o objetivo de reduzir o preço dos pedágios e garantir a manutenção e execução das obras, o Deputado Giacobo (PR/PR) entrou com um pedido no Ministério dos Transportes para que a administração e exploração de cerca de 1.871 km de vias no Paraná sejam devolvidos para União. Os convênios com o estado tem prazo de 25 anos e se encerrariam em 2021. Ainda solicitou que os convênios sejam denunciados e os contratos celebrados com as Concessionárias fiquem sob a responsabilidade da Agência Nacional de Transporte Terrestre, do governo federal. O Ministro dos Transportes, Maurício Quintela, recebeu o pedido e já encaminhou aos órgãos competentes.
O Paraná tem a maior tarifa de pedágio praticada no mundo. “Os constantes reajustes e a falta de execução de alguns serviços importantes causam transtornos ao governo do estado e à sociedade”, ressalta Giacobo.
A solicitação de Giacobo vai ao encontro dos trabalhos da Frente Parlamentar Contra a Prorrogação dos Contratos dos Pedágios no Paraná na Assembléia Legislativa do Paraná. A Frente realiza, no dia 17 de junho, audiência pública às 9h30 em Cascavel e às 17h30 em Foz do Iguaçu.

Deixe um comentário