Lideranças políticas falam sobre Policarpo

e9405484-zeca-bett-2048x1415 (1)

Lideranças políticas falam sobre Policarpo

A importância de Frei Policarpo Berri para o Sudoeste, especialmente para Pato Branco, vai muito além do viés espiritual. Além das bençãos, orações e até mesmo “milagres” a ele atribuídos, Policarpo foi um homem visionário, que entendia a importância da comunicação como instrumento de evangelização e acompanhava de perto assuntos como economia, política e outras pautas importantes para o crescimento da cidade.

Os seus feitos lhe renderam diversas homenagens e honrarias pelo Poder Público, entre elas o Título de Cidadão honorário de Pato Branco, maior honraria concedida pelo Poder Legislativo para pessoas não-naturais da cidade, em 1996; Título de Cidadania Honorária do Paraná, entregue a quem tem grande representatividade na história paranaense, em 2007. A justificativa era de que Policarpo era conhecido por seu entusiasmo pela comunicação, trazendo rádio e emissora de TV para Pato Branco; Ordem Estadual do Pinheiro, a mais alta honraria do Estado para pessoas que se destacam em suas profissões e atuação pública, contribuindo para a divulgação e crescimento cultural, econômico, político e social do Paraná, concedido em 2013; e Medalha de Honra ao Mérito Pato-Branquense, concedida a cidadãos que tenham sido ou sejam protagonistas de serviços relevantes à comunidade de nossa cidade, em 2020.

Por tudo o que representa, lideranças políticas do Sudoeste e de todo o Paraná se manifestaram através de notas de pesar. Confira o que disseram neste momento de luto:

Perdemos Frei Policarpo no dia de São Francisco de Assis. Foi como franciscano que ele dedicou 70 anos de sua vida ao sacerdócio, maior parte desse tempo em Pato Branco. Foram 64 anos atendendo e abençoando a população do sudoeste paranaense.”
(Carlos Massa Ratinho Junior, governador do Paraná)

Homem de grande fé, de visão empreendedora, raciocínio e memória invejável. Frei Policarpo Berri, o homem das mãos sempre postas para abençoar, nos deixou na manhã deste domingo. Sempre presente no cotidiano de nossa cidade, Frei Policarpo foi um homem a frente de seu tempo, investiu na comunicação como meio de evangelização, dedicou-se a vida Franciscana intensamente, de maneira humilde e acolhedora sempre demonstrando o amor ao próximo.”
(Augustinho Zucchi, prefeito de Pato Branco)

Recebi, com pesar, a triste notícia do falecimento do Frei Policarpo, na manhã deste domingo. Frei Policarpo foi um instrumento da paz. Levou o amor, o perdão e a união por onde passou. Levou a fé, a verdade e a esperança a todos os corações. Transmitiu alegria e luz. Um homem que dedicou uma vida à causa franciscana, e fez sua passagem para a vida eterna exatamente neste dia 4 de outubro, dia de São Francisco de Assis. E isto é de uma simbologia tão grande que acredito não ser uma coincidência ou acaso. Frei Policarpo Berri deixa um enorme legado de fé. Exemplo para toda a população de Pato Branco e do Sudoeste do Paraná, Policarpo foi um entusiasta também do setor de comunicações, fundando uma rádio e uma TV na região. Nossa eterna gratidão, respeito e admiração por este ser iluminado.”
(Leandre, deputada federal)

“Recebi com grande tristeza a notícia do falecimento deste grande amigo e fonte de inspiração na minha vida. Este santo, deixará para todos nós um legado de devoção, respeito, carinho e amor ao próximo. Pato Branco é grata ao Frei Policarpo, que contribuiu muito para o desenvolvimento da cidade e espalhou sua mensagem confortando o coração das pessoas. Muito obrigado por tudo, você será sempre uma pessoal especial na minha vida e na de todos os pato-branquenses.”
(Fernando Giacobo, deputado federal)

Com muita tristeza, recebi na manhã deste domingo, dia 4 de outubro, a notícia do falecimento do Frei Policarpo Berri em Pato Branco, aos 96 anos de idade. Natural de Santa Catarina, Frei Policarpo deixa registrada em nossos corações e na memória do povo sudoestino uma história que caminhou junto com o desenvolvimento da própria região Sudoeste do Paraná, para onde veio ainda em 1956, trazendo sua mensagem de paz, de esperança e carregando sempre uma palavra de conforto e um olhar muito carinhoso, com que abençoava a todos. Foi um grande líder religioso que materializou em gestos e em bondade o sentido da ação evangelizadora. Um dos criadores da Rede Celinauta, foi também um grande defensor da comunicação social, dessa missão importante e desse compromisso ético e responsável de prestar informações úteis à comunidade, além de se constituir, à sua maneira, em um instrumento também da transformação da realidade para o desenvolvimento humano e social do povo do Sudoeste. Deixa saudades e um profundo sentimento de gratidão por seus ensinamentos e sua dedicação incansável à nossa terra e à nossa gente! Ao lado do Pai, será sempre nossa referência e uma luz de orientação em nossos caminhos de fraternidade, de amor ao próximo e de solidariedade.”
(Luciana Rafagnin, deputada estadual)

A morte do Frei Policarpo será para sempre uma ausência sentida; mas sua vida, inspiração e exemplo deverão nortear a caminhada da Igreja e principalmente dos fiéis cristãos. Creio que devemos a esse santo homem não só os caminhos da fé, mas também os do progresso; em especial pelas conquistas que nos legou como herança, fruto do seu abençoado trabalho pastoral e missionário, inclusive com a implantação da primeira emissora de TV e a criação da rádio no município; sem contar que, no campo espiritual, suas tradicionais bênçãos e orações uniram a comunidade. Destaco a sua longa história de doação, amor e fé — além da grata coincidência de seu falecimento no dia consagrado à São Francisco, santo patrono da Província Franciscana da Imaculada Conceição do Brasil –, Frei Policarpo Berri, abnegado e desprendido, foi e sempre será uma fonte de formação e informação, um pilar de sustentação da fé, do amor aos mesmos preferidos de Jesus e dos valores do Evangelho. Rogo a Deus para ele descansar em paz e na graça. Apresentei um requerimento na Assembleia Legislativa do Estado do Paraná – Alep prestando nossa homenagem póstuma com votos de profundo pesar pela morte do Frei Policarpo, se é que o Frei Policarpo morre.”
(Luiz Fernando Guerra, deputado estadual)

É com tristeza que recebo a notícia da morte de Frei Policarpo Berri na manhã deste domingo, na cidade de Pato Branco, aos 96 anos.
Frei Policarpo, que foi homenageado com o título de Cidadão Honorário do Paraná em 2006, proposto pelo então deputado Antonio Martins Anibelli, atuava há mais de 60 anos na região Sudoeste do Estado.
Franciscano, Frei Policarpo se preparava para celebrar missa na Igreja Matriz quando faleceu. Natural de Rodeio, em Santa Catarina, onde minha mãe, Yara Maria, nasceu, Frei Policarpo nasceu em1924 e ingressou na Ordem Franciscana, no Rio de Janeiro aos 11 anos, sendo ordenado sacerdote em 1950 e seis anos depois chegou a Pato Branco.
Para mim, Frei Policarpo foi – e é – um grande homem de Deus, que ajudou a no desenvolvimento da região Sudoeste. Foi sempre um amigo da família Anibelli. O Sudoeste está de luto. Frei Policarpo fará falta a todos nós. Que Deus o receba de braços abertos.”

(Anibelli Neto, deputado estadual)

Meus pais tinham muita fé no Frei Policarpo, eram ouvintes assíduos através da Rádio Celinauta, por isso tenho essa lembrança de criança, da fala inconfundível dele e também das muitas conversas de minha família e de parentes que comentavam com muito carinho e confiança sobre o Frei Policarpo. Por esse fato, apesar de não morar na mesma cidade, acompanhei a minha vida toda o Frei Policarpo e sua oração tão conhecida, ‘Oração pela Saúde’. Apesar da sua idade avançada, fiquei surpreso e triste pela notícia de seu falecimento.”
(Wilmar Recheimbach, deputado estadual)

“Com tristeza recebi a notícia do falecimento do Frei Policarpo, uma verdadeira referência de fé, humildade e atenção ao próximo. Sua vida e trabalho sempre serão uma inspiração para todos.”
(Paulo Litro, deputado estadual)

 

Fonte: Diário do Sudoeste

Link: https://diariodosudoeste.com.br/pato-branco/liderancas-politicas-falam-sobre-policarpo/

Deixe um comentário