Maternidade fechada e tomógrafo sem uso: essa é a realidade do Complexo Hospitalar de São Miguel do Iguaçu

Complexo Hospitalar São Miguel do Iguaçu

Maternidade fechada e tomógrafo sem uso: essa é a realidade do Complexo Hospitalar de São Miguel do Iguaçu

Há três anos um grande sonho dos cidadãos de São Miguel do Iguaçu finalmente era entregue à população, um moderno Complexo Hospitalar e Maternidade. Os partos eram realizados no município e as gestantes não se deslocavam para outras cidades.

Porém, a falta de gestão e logística da atual administração está privando as mães de terem seus filhos em São Miguel. A Maternidade foi fechada e o espaço que seria para partos está sendo utilizado em casos de coronavírus. O transtorno voltou e agora muitas mães são encaminhadas para cidades vizinhas. Apenas alguns partos são feitos na sala cirúrgica do complexo hospitalar e em seguida as mães são conduzidas ao pronto atendimento.

Além disso, o tomógrafo computadorizado helicoidal doado ao hospital em 2018 por meio de esforços do deputado federal Giacobo em Brasília está parado, sem uso, sem nunca ter sido sequer instalado.

Ao tomar conhecimento do descaso com a saúde de São Miguel, o deputado federal Fernando Giacobo, comenta a atual situação: “Mais que uma obra, a maternidade é um sonho para todos os munícipes e nunca deveria ter sido fechada. Fico decepcionado em saber que os partos não estão sendo feitos na estrutura que ajudamos a concretizar. Com certeza faltou uma decisão mais acertada da gestão. Também gostaria de entender por qual motivo um equipamento de alta tecnologia, que é o tomógrafo, ainda não está sendo utilizado”, enfatiza o deputado.

Deixe um comentário